Seja muito bem vindo(a) a AMAM  - 
 
 
 
NOTÍCIAS DE BREVES
07/05/2014
Breves
UNIDADE PRISIONAL DO MARAJÓ DESAFOGA DELEGACIAS E FACILITA TRABALHO DE INVESTIGAÇÃO NA REGIÃO.
 

A Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) entregou, em julho do ano passado, a primeira unidade prisional do arquipélago do Marajó, o Centro de Recuperação de Breves (CRB), com capacidade para 128 detentos. A obra, que recebeu investimentos de mais de R$ 4 milhões, tem área total de 1.490 metros quadrados. No total, são 31 celas revestidas com telhado de proteção térmica, sendo 20 celas coletivas para seis detentos, sete celas individuais para internos com nível superior, uma cela para portadores de necessidades especiais (PNE) e ainda três celas reservadas para visitas íntimas.

O prédio conta com uma área para banho de sol, um ambulatório, dois consultórios médicos (um odontológico e outro clínico geral), um refeitório, uma cozinha, um parlatório e uma sala para os agentes prisionais. Uma novidade no CRB é o sistema de monitoramento dos internos. Nessa unidade, os agentes prisionais acompanham e fiscalizam a movimentação dos detentos no interior das celas de um andar superior, o que garante um maior nível de segurança contra tentativas de fugas. A nova unidade também tem um sistema de proteção contra incêndio para a prevenção de acidentes.

Para o major PM Helderley Souza, diretor do CRB, a unidade tem importância fundamental para a região, uma vez que, até então, as delegacias dos municípios do Marajó encontravam-se completamente lotadas de presos, os quais, muitas vezes, precisavam ficar em condições impróprias de custódia. “Certamente, o Centro já está desafogando principalmente as delegacias dos municípios que circundam Breves, como Portel, Curralinho e São Sebastião, que estavam superlotadas, o que, entre outras coisas, acaba prejudicando até mesmo o trabalho de investigação por parte da Polícia Civil. A nova unidade iniciou um processo novo de humanização da situação carcerária no Estado, já que abriu novas vagas para que esses presos, provisórios ou sentenciados, pudessem vir para cá e ficar adequadamente custodiados”, ressaltou.

A auxiliar de serviços gerais Maria Creusalina Pena, de 40 anos, viajou do município de Anajás, também no Marajó, para visitar o filho, detido há seis meses. Emocionou-se ao reencontrar o rapaz pela primeira vez desde a prisão, mas garantiu que o fato de encontrá-lo em um centro de recuperação limpo, arejado e bem equipado trouxe mais tranquilidade para a família. “Eu achei que é uma estrutura boa, com pessoas boas, que me atenderam muito bem. O meu filho mesmo me disse que está sendo bem tratado e que não devo me preocupar, por isso, eu fico mais tranquila, embora esta não seja uma situação fácil. Mas só de saber que o meu filho está sendo bem cuidado, já fico mais aliviada”, enfatizou.

Até o final de 2014, o Pará terá cerca de seis mil novas vagas no Sistema Penitenciário, com a criação de mais 22 Casas Penais, em 18 municípios paraenses. Os investimentos totalizam R$ 115 milhões de reais.

Fonte: AGPA.

Comunicação/AMAM
 
  
 
« Voltar
 
 
Oeiras do Pará
 
Desenvolvido por:
Associação dos Municípios do Arquipélago do Marajó
End: Travessa 3 de maio, 2389
Cremação - Telefone: (91) 3213-8000