Seja muito bem vindo(a) a AMAM  - 
 
 
 
NOTÍCIAS DE GURUPÁ
01/04/2014
Gurupá
EMATER E SEPAQ DISCUTEM PARCERIA PARA INCENTIVAR PISCICULTURA EM GURUPÁ.
 

Piscicultores de Gurupá, município da Ilha do Marajó, serão os principais beneficiados com uma possível parceria, que já começou a conjeturada, entre a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) e a Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura (Sepaq). Representantes de ambas debateram, na sexta-feira, 28, o assunto durante no I Seminário Regional de Integração e Diversidade da Pesca e Aquicultura do Marajó, promovido pela Sepaq, em Breves. A parceria se dará no fortalecimento do projeto criação de peixes em tanques escavados em Gurupá, exposto no evento naquele dia.

De acordo com o engenheiro florestal Ted Quemel, chefe do escritório local da Emater, a empresa assiste a onze agricultores familiares no município marajoara, que receberam recursos do Programa Nacional de Fortalecimento a Agricultura Familiar (Pronaf), para investimento na criação de peixes em tanques escavados. “Mostramos o trabalho que está sendo desenvolvido no município. Essas famílias atendidas comercializam peixes como tambatinga, tambaqui e tambacu para o mercado local e também municípios circunvizinhos, além de Macapá (AP). Devemos ampliar de 11 para 20 piscicultores em breve”, disse Quemel.

Em Gurupá, a principal atividade econômica é a cadeia produtiva do açaí, e a piscicultura entra como forma de diversificação da produção local. O engenheiro florestal da Emater aponta como principais vantagens da piscicultura o baixo impacto ambiental, boa rentabilidade, retorno de investimento em um ano aproximadamente, além de garantir a segurança alimentar das famílias. “As famílias que estão trabalhando com a criação de peixe em tanque escavado têm um incremento de mais ou menos 20% no orçamento familiar”, destacou.

O titular da Sepaq, André Pontes, elogiou o trabalho exposto pela Emater. Segundo ele, neste mês, um técnico deverá visitar o escritório local do órgão e avaliar como se dará a contribuição da secretaria. “Vamos encaminhar nosso engenheiro de pesca ao município para avaliação e, posteriormente, montar um plano de trabalho para diminuir os principais gargalos da cadeia produtiva, que são a melhoria da comercialização da ração e a distribuição de alevinos aos produtores”, adiantou Pontes.

Fonte: AGPA.

Comunicação/AMAM
 
  
 
« Voltar
 
 
Oeiras do Pará
 
Desenvolvido por:
Associação dos Municípios do Arquipélago do Marajó
End: Travessa 3 de maio, 2389
Cremação - Telefone: (91) 3213-8000