Seja muito bem vindo(a) a AMAM  - 
 
 
 
NOTÍCIAS DE MELGAÇO
05/092013
Muaná
CARAVANA PRO PAZ EMITE MAIS DE 1,6 MIL DOCUMENTOS EM MUANÁ
 

No segundo dia de atendimentos da Caravana Pro Paz em Muaná, no arquipélago do Marajó, nesta terça-feira (3), houve uma grande demanda pela emissão de documentos e atendimento jurídico, serviços oferecidos na Escola Municipal de Ensino Fundamental Paula Franssineti, localizada no centro da cidade. Foram, ao todo, 1,6 mil procedimentos nessa área, entre os quais 490 fotografias realizadas; 439 emissões de RG; 251 CPFs; 199 carteiras de trabalho; 174 certidões de nascimento e 80 atendimentos jurídicos.

O trabalho de emissão de documentos e atendimento jurídico no mutirão – que envolve servidores da Defensoria Pública do Estado, Polícia Civil e Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas) – tem sido de fundamental importância para pessoas como o pescador Flávio Macedo, de 48 anos. Morador da cabeceira do rio Atuá e pai de cinco filhos, ele aproveitou a passagem da Caravana pela cidade de Muaná para retirou as certidões de nascimento dos filhos Antônio e Max, de 22 e 18 anos, respectivamente. Os jovens nunca tinham tido nenhum documento. “Como a gente mora em um local difícil, onde não existe esse tipo de atendimento, e também nunca tivemos condições de procurar esse serviço fora de lá, ficou complicado. Só agora, com a chegada da Caravana, é que foi possível realizar esse sonho”, emocionou-se o pai.

Antônio, o filho mais velho de Flávio, já não vê a hora de exercer os seus direitos de cidadão, agora devidamente documentado. “Eu sempre tive vontade de votar e agora vou poder fazer isso. Muita gente já virou a cara para nós pelo fato de não termos documentos. Agora, ninguém vai poder mais duvidar de que eu também sou um cidadão”, comemorou.

Quem também estava festejando a nova condição era o braçal João Barbosa, de 42 anos. Nascido e criado em Muaná, ele tinha todos os documentos registrados apenas com o nome da mãe, em função de o pai nunca ter assumido sua paternidade. Foi somente agora, aos 42 anos de idade, que ele conseguiu convencer o pai, já idoso, a assumir sua paternidade e incluir o seu nome nos documentos do filho. “Como agora também sou pai e quero que os meus filhos tenham o nome dos avôs, resolvi correr atrás dessa questão. Eu sempre soube quem era o meu pai e sempre convivemos, embora ele não tivesse me registrado oficialmente”, contou.

Já a pescadora Marlúcia Freitas, de 50 anos, que está com uma cirurgia marcada por conta de uma fratura no braço, precisava com urgência de uma nova carteira de identidade, pois a sua estava completamente rasurada. De maneira rápida e prática, ela conseguiu o documento na Caravana Pro Paz. “Eu tirei a minha primeira via quando ainda era muito jovem e aí toda vez que precisava usar tinha dificuldade, porque além de estar velha, a minha foto já está muito diferente da minha aparência de agora. Como estou com essa cirurgia marcada, tinha que resolver isso com a maior urgência, então, foi um presente que a Caravana me deu”, disse.

O jovem Diogo Serrão, 29 anos, também tinha urgência em conseguir a segunda via da carteira de trabalho. Desempregado há alguns meses, ele queria o documento para correr atrás de uma colocação no mercado de trabalho. “Por enquanto só trabalho fazendo bicos, mas, com a carteira na mão posso ir atrás de algo melhor”, frisou.

O órgão responsável pela emissão das carteiras de trabalho no mutirão é a Defensoria Pública do Estado, que tem ainda outras missões importantes dentro desse trabalho, conforme explicou o defensor Elias Mendes. “A Defensoria atua diretamente com a orientação jurídica, só que o trabalho maior da parte jurídica é justamente o combate ao sub-registro, retificação de certidão de nascimento, de casamento e de óbito, além de outros tipos de tarefas, como ações de execução de alimentos, de reconhecimento de paternidade e encaminhamentos para resolução de problemas que envolvem cartórios de outros municípios que não aquele onde está acontecendo a ação”, enfatizou.

Além dos serviços de saúde e de emissão de documentos e atendimento jurídico, as cidades por onde a Caravana passa também recebem a segunda edição da Mostra Pará, uma coletânea de filmes paraenses exibidos por servidores do Instituto de Artes do Pará (IAP). Segundo o técnico do IAP, Felipe Alves, a Mostra Pará reúne vídeos feitos em todas as regiões do Estado e esse acervo só aumenta com o avanço da Caravana. “Muitas vezes, os próprios produtores das cidades onde a gente chega nos procuram para doar as suas produções e autorizar a exibição na mostra, o que é muito bom para todos”, informou.

FONTE:AGPA

Comunicação/AMAM
  
  
 
« Voltar
 
 
Oeiras do Pará
 
Desenvolvido por:
Associação dos Municípios do Arquipélago do Marajó
End: Travessa 3 de maio, 2389
Cremação - Telefone: (91) 3213-8000