Seja muito bem vindo(a) a AMAM  - 
 
 
 
NOTÍCIAS DE PONTA DE PEDRAS
11/07/2013
Ponta de Pedras
NOVO RELATÓRIO INDICA QUE TOXOPLASMOSE EM PONTA DE PEDRAS ESTÁ CONTROLADA.
 


A Coordenação Estadual de Zoonoses da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) informa até esta quinta-feira (11) foram notificados 142 casos de toxoplasmose em Ponta de Pedras, dos quais 66 foram confirmados, 73 descartados e outros três ainda aguardam resultado. Os dados foram revisados e emitidos por uma ação conjunta envolvendo técnicos da Sespa que ainda estão no município, Secretaria de Saúde de Ponta de Pedras, Laboratório Central do Estado (Lacen) e Instituto Evandro Chagas (IEC).

Desde o dia 24 de junho quatro técnicos da Sespa estão no município de Ponta de Pedras colaborando com a investigação sobre as reais causas de infecção por toxoplasmose. Segundo os técnicos, os trabalhos na área continuam, mas a situação está controlada, por mais que o surto tenha ocorrido somente no período de 28 de abril e 11 de maio deste ano.

No momento, os casos que ainda surgem não são novos e apenas estão sendo captados tardiamente. Os sintomas clínicos dos pacientes positivos estão em remissão e boa parte deles completamente. Por isso, em poucos casos, ainda é necessária prescrição de tratamento.

Quanto ao parecer técnico, os casos positivos estão sendo confirmados por sorologia realizada no Laboratório Central do Estado (Lacen), vinculado à Sespa, e alguns pelo Instituto Evandro Chagas, em Ananindeua, ligado ao Ministério da Saúde. Ambas as instituições ainda investigam a provável fonte de infecção.

O surto de Toxoplasmose no município de Ponta de Pedras, nesta fase preliminar de investigação, possivelmente está ligado ao surgimento da doença em pessoas que não estavam com imunidade contra a doença.  A maioria teve sintomas persistentes cujos resultados laboratoriais adjuntos aos relatos constituem em casos que remontam à apenas um breve período, caracterizando com isso o surto.

Por outro lado, a investigação já descarta o matadouro local como fonte de infecção da doença. Comprovou-se ainda a ausência de conhecimento do que é a doença para a população, visto que a via oral tem sido a forma mais comum de contágio no paciente positivado, possivelmente causado pelo descuido das boas praticas de higiene.

O Estado, neste momento, incentiva uma divulgação mais ampla em favor da educação sobre os mecanismos de aquisição e prevenção da toxoplasmose, aproveitando a situação para estender o feito. Diante o exposto, a coordenação estadual de Zoonoses da Sespa está organizando material didático para a produção de um modelo de folder sobre a toxoplasmose, mas isso não impede que haja a divulgação de outras formas de levar a população sobre o que é a doença.

Fonte: Agência Pará de Notícias

Comunicação/AMAM
  
  
 
« Voltar
 
 
Oeiras do Pará
 
Desenvolvido por:
Associação dos Municípios do Arquipélago do Marajó
End: Travessa 3 de maio, 2389
Cremação - Telefone: (91) 3213-8000