Seja muito bem vindo(a) a AMAM  - 
 
 
 
NOTÍCIAS DE SOURE
19/01/2012
Soure
SOURE FESTEJA SEUS 153 ANOS AMANHÃ
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

HISTÓRIA DA CIDADE

O município rico em beleza natural e patrimonial chama atenção por meio das antigas igrejas, coretos, praças, casas, praias, fazendas ou campos inundáveis, onde a presença de pássaros e búfalos, que contempla o cenário. A sede do município foi projetada pelo urbanista Aarão Reis, também responsável pela urbanização de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais.

 

Iniciou com as aldeias dos índios Maruanazes e Mundis, pertencentes à tribo dos Aruãs. Com a visita do primeiro governador do Pará, Francisco Xavier de Mendonça Furtado, no início do século XVIII, essas duas aldeias indígenas acabaram se tornando um povoado chamado de Monforte. O povoado foi elevado à condição de vila em 1757 e tornou-se município em 20 de janeiro de 1859. No ano de 1961, por meio da Lei Estadual nº 2.460, novos municípios foram criados, caso de Salvaterra, desmembrado de Soure.

 

Considerado a “Pérola do Marajó” ou a “Capital do Marajó”, título disputado com o vizinho Salvaterra, Soure é o maior município do arquipélago marajoara, localizado na costa oriental da ilha, onde existem as mais belas praias de toda a região. Também banhado pelo rio Paracauari.

 

O búfalo é o grande símbolo de Soure. Por isso, é comum encontrá-los pelas ruas da cidade, utilizados como um dos principais meios de transporte, ao lado de moto-táxis e bicicletas. Soure é reconhecida como a “Capital do Búfalo”.

Em setembro de 1998, quando Soure foi a sede da Exposição Nacional de Búfalos. Em 1999, aconteceu o I Festival de Búfalo do Pará. A mola propulsora desses eventos é a Expo-búfalo, mantida há 42 anos no Marajó, local onde a criação do animal começou no final do século XIX.

 

Significado do Nome

 

 

 De paisagem exuberante e diversas praias primitivas, Soure já recebeu várias denominações: foi Monte-Forte, depois Menino-Deus e devido à grande quantidade de jacarés sauriuns encontrados na região, os portugueses resolveram rebatizá-la de Soure.

 

 

TURISMO:

 

Resumo:

 

Aos turistas que vão ao Marajó recomenda-se o uso de protetor solar. Não esqueça que o sol marajoara é disfarçado pela brisa constante.

 

Principais Pontos Turísticos:

 

ATRATIVOS NATURAIS

 

Entre as atrações naturais, o destaque é para as praias. A do Pesqueiro possui dunas que se espalham em quase toda sua extensão. A praia tem, ainda, áreas salgadas, por influência do Oceano Atlântico, e inúmeros coqueiros, marca registrada desse pedaço privilegiado de Soure. Essa beleza amazônica está só a 8 km da cidade. Na praia de Araruna, Soure revela seu lado selvagem. A praia fica próxima a uma área de mangue e atrai muitos turistas por causa dessa peculiaridade.

 

VILA DO PESQUEIRO

 

O visitante que prefere conhecer mais o dia-a-dia dos moradores não pode deixar de ir à Vila do Pesqueiro. Nessa localidade, além da pesca, a população encontra na fitoterapia uma fonte de renda. Na Associação das Mulheres do Pesqueiro (Asmupesq), as moradoras comercializam medicamentos naturais, como óleo de andiroba e vendem do artesanato.

 

BAIRRO NOVO

 

Um local interessante para ser visitado é o curtume, onde são fabricados objetos com couro do búfalo, de sapatos a porta-moedas.

 

PRAIA DA BARRA VELHA

 

Assim que colocar os pés em Soure o melhor a fazer é refrescar-se. Se a pressa for muita, a opção é a praia da Barra Velha. Distante 3 km do núcleo urbano, ela possui uma beleza exuberante e vegetação de manguezais de grande porte. O acesso é rodoviário. Com uma infraestrutura modesta, é uma excelente opção para quem gosta de tranquilidade e tem espírito aventureiro - a praia é pouco frequentada.

 

PRAIA DO PESQUEIRO

 

É um dos grandes pólos turísticos do município. Possui barraquinhas com serviços de bar e restaurante e uma culinária cuja especialidade são os peixes regionais e o caranguejo toc-toc. A dica é também aproveitar uma saborosa água de coco. O acesso é feito por carros particulares - mototáxis, táxis e vans - e leva cerca de 20 minutos. A praia é um dos maiores atrativos naturais de Soure. No mês de julho é grande o fluxo de visitantes.

 

NA PRAIA DO ARARUNA

 

3 km de Soure - a vegetação é caracterizada por palmeiras nos seus aproximadamente 8 km de extensão. O local tem acesso rodoviário. Possui uma modesta infraestrutura. É visitado com maior frequência no mês de julho e feriados prolongados.

 

PRAIA DO MATA-FOME

 

Também conhecida como Garrote. Fica a cerca de 5 km da sede municipal. A vegetação da praia é caracterizada por manguezais. Parte do acesso rodoviário é feito a pé, mas a beleza exuberante compensa o esforço. O local foi descoberto recentemente e ainda é pouco visitado.

 

IGARAPÉ DO CAFÉ

 

Inicia seu curso na Fazenda Providência e desemboca no igarapé da cachoeira. Possui 1 km de extensão, por três metros de profundidade. A vegetação é marcada pela presença de mata de várzea e igapó. Há cipós que caem entre os galhos das árvores, que formam um túnel. O acesso é feito a pé.

 

RIO PARACAUARI

 

Banha o município de Soure e serve de porto para pequenas embarcações da região, onde se observa a presença de currais para a captura de peixes. O visitante pode fretar embarcações de pequeno porte para passeios pelo rio.

 

ENSEADA DO TOMBO DO JUTAÍ

 

Na enseada existe uma árvore de Jutaí, tombada pela ação da maré. Serve de balneário e ancoradouro para pequenas embarcações de pesca. A área possui uma infraestrutura simples para atender os visitantes. Localiza-se na 5ª rua do núcleo urbano. O acesso é rodoviário, com parte da via pavimentada.

 

REGIÃO DOS CAMPOS

 

Um vasto horizonte é o que o turista vai constatar quando chegar à região dos campos marajoaras.

 

REBANHO DE BUBALINO

 

Na vegetação característica de várzea é comum encontrar rebanho de bubalino no local. O tempo parece se arrastar por ali, mas hora e outra os animais silvestres cortam a paisagem.

 

NO CORAÇÃO DE SOURE

 

Soure guarda, além das belezas naturais, os encantos históricos da arquitetura. O passeio pode começar pela Igreja de Nossa Senhora de Nazaré ou Matriz. A construção remonta ao século XIX. Ela foi erguida no local onde já existia uma capela em homenagem à Virgem. Está situada na 3ª Rua. Logo em frente, o visitante vai dar de cara com os coretos que também compõem o cenário religioso, onde predomina a pintura em estilo marajoara.

Caminhando um pouco mais, na 4ª Rua, está a capela de São José. A construção possui duas pequenas torres e uma fachada simples. Acredita-se que o altar seja do final do século XIX.

 

CASA DA CULTURA

 

Já na 6ª Rua o momento é de conhecer um pouco mais da cultura local, além da Casa da Cultura, que abriga uma importante coleção de literatura da região. Aproveite, ainda na 6ª Rua, e veja as peças expostas e comercializadas no Centro de Artesanato; da cerâmica marajoara às bolsas e bonecas de tururi - fibra extraída do ubuçu, árvore típica da Amazônia - e cestaria em talas de guarumã - planta de várzea da Amazônia. Tudo tem a delicadeza e a riqueza do artesanato marajoara.

 

CAPELA DE SÃO SEBASTIÃO

 

O prédio foi construído em maio de 1988 e está anexado ao convento das Irmãs da Divina Graça. É na capela que todo dia 20 de janeiro acontecem as homenagens a São Sebastião.

 

OBELISCO

 

É uma homenagem da população aos 150 anos da Independência do Brasil. Está localizado na praça da Independência do Brasil, no centro da cidade.

 

CRUZEIRO

 

Arquitetura de concreto, tendo ao centro uma Cruz de ferro. É um monumento comemorativo ao 25º aniversário das atividades dos padres Agostinianos em Soure - na praça Magalhães Barata.

 

MERCADO MUNICIPAL

 

A arquitetura é moderna. Lá o turista irá encontrar uma verdadeira feira, onde é possível comprar carne, peixe, caranguejo e vários bazares com produtos regionais, além de ofertas de frutas e legumes sortidos. Também é possível tomar tranquilamente um café com tapioquinha passada na manteiga ou coberta com queijo do Marajó.

Comunicação AMAM
  
  
 
« Voltar
 
 
Oeiras do Pará
 
Desenvolvido por:
Associação dos Municípios do Arquipélago do Marajó
End: Travessa 3 de maio, 2389
Cremação - Telefone: (91) 3213-8000